Está aqui

Cascais acolheu as 25 “Cidades Resilientes” reconhecidas pela ONU

Cascais foi hoje palco da entrega de certificados do programa “Cidades Resilientes” das Nações Unidas em Portugal às 25 cidades e vilas portuguesas merecedoras do título. Realçando a importância do nível local no desenvolvimento de comunidades resilientes, estes certificados reconhecem formalmente a capacidade de resposta destas cidades e vilas em caso de catástrofe.
Numa altura em que os acidentes e as catástrofes – naturais ou tecnológicas – são abertura dos noticiários quase todos os dias, a redução dos fatores de risco é cada vez mais uma preocupação para os governos e populações de todo o mundo. Tendo em vista a redução do impacto deste tipo de fenómenos na sociedade, em 2010, a ONU lançou o programa “Cidades Resilientes”, no âmbito do qual os órgãos de Poder Local são encorajados a implementar medidas que contribuam para o aumento da resiliência a catástrofes.      
Ao todo, há em Portugal 25 cidades e vilas, entre as quais Cascais, consideradas “resilientes” e que integram um universo de 2.000 reconhecidas atualmente no mundo inteiro pela ONU-Organização das Nações Unidas. 
“É preciso criar plataformas locais que envolvam as comunidades com entidades públicas e privadas”, refere José Oliveira, Diretor Nacional de Planeamento de Emergência, da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Esta é a melhor forma, segundo o responsável, de “se criarem condições para se conseguir ser uma cidade resiliente: não existe risco zero, temos que saber lidar com o risco sem tabus”.
“O grande desafio é estarmos cada vez mais bem preparados para enfrentar as situações de stress, devendo começar a nível local”, disse Luís de Carvalho, Coordenador do Programa “Cidades Resilientes” das Nações Unidas em Portugal, na entrega dos certificados. 
A campanha “Cidades Resilientes” em Portugal incide em três ideias chaves: “resiliência; reduzir o risco, antecipar a incerteza e ameaça e resistir ao desastre. Se fizermos um ciclo da catástrofe temos que apostar fortemente na prevenção, melhor socorro e rápida recuperação” enfatizou. 
“Para Cascais é uma honra receber aqui as 25 “Cidades Resilientes””, afirmou Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, para quem “este certificado é o reconhecimento que as nossas autarquias estão preparadas para enfrentar catástrofes”.
“O nosso país representa um quadro de risco muito elevado, seja por causas naturais ou humanas e a cidade tem que enfrentar estes fatores, que testam a sua capacidade de resilir e saber ultrapassar as situações de stress”, acrescentou o autarca.
Das 25 “Cidades Resilientes” portuguesas reconhecidas pela ONU fazem parte: Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Amadora, Cascais, Castro Marim, Faro, Funchal, Lagoa, Lagos, Lisboa, Loulé, Lourinhã, Monchique, Odivelas, Olhão, Portimão, Santo Tirso, São Brás de Alportel, Setúbal, Silves, Tavira, Torres Vedras, Vila do Bispo, Vila Real de Santo António. Até ao final do ano prevê-se a entrada de mais três cidades.
 

Sugerimos também

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais