Está aqui

Apresentação do Plano Municipal de Literacia | 15 de novembro | 15h00

Haverá uma idade para aprender? O Programa Municipal de Literacia diz que não. Dia 15 de novembro, às 15h00, no auditório dos Salesianos de Manique, terá lugar a apresentação deste programa municipal, ao mesmo tempo em que serão entregues certificados aos participantes do programa. Além de apresentar publicamente o programa, a sessão visa celebrar uma etapa importante na vida de 13 beneficiários desta nova oferta formativa do concelho: a Certificação do 1º Ciclo do Ensino Básico.
Na cerimónia, a decorrer no Auditório dos Salesianos de Manique, serão ainda entregues os certificados resultantes do Projeto Alfabetização e Literacia para Nacionais de Países Terceiros, cofinanciado pelo Fundo de Asilo, Migrações e Integração (FAMI). 
 
Será também reconhecido publicamente o papel dos voluntários “Dinamizadores das Aprendizagens”.
 
O Programa de Literacia assenta num conjunto de respostas educativas formais e não formais, de nível básico, ajustadas a adultos que não tiveram, por motivos vários, oportunidade de acesso ou conclusão da formação escolar. O processo desenvolve-se através da valorização da experiência de vida do adulto nas suas aprendizagens, promovendo a aquisição de competências de literacia e numeracia e o desenvolvimento do domínio da língua portuguesa (compreensão, oralidade, escrita e interação). 
 
A Alfabetização Não Formal tem sido concretizada ao longo dos últimos anos através do apoio de voluntários que vestiram a pele de “Dinamizadores das Aprendizagens”, nas freguesias de Alcabideche, S. Domingos de Rana e Cascais/Estoril. A uniformização de metodologias e a construção do modelo pedagógico, utilizado pelos “Dinamizadores das Aprendizagens” foi um processo supervisionado por especialistas na área da educação de adultos. Este programa criou a possibilidade de se realizar anualmente (junho) um exame de certificação do 1º ciclo no Agrupamento de Escolas de Alcabideche, que está aberto a todos os munícipes independentemente de estarem a frequentar ou não aulas de alfabetização.
 
No âmbito do Projeto Alfabetização e Literacia para Nacionais de Países Terceiros (NPT), a Câmara Municipal de Cascais concorreu ao FAMI - Fundo Asilo, Migração e Integração, que financia atividades de integração de imigrantes e refugiados por intermédio do Alto Comissariado para as Migrações. O projeto decorreu entre fevereiro e junho de 2017, tendo participado 60 munícipes de várias nacionalidades (Cabo Verde, Ucrânia, Roménia, Angola, China, Guiné-Bissau, Rússia, India, Filipinas, Bulgária e Senegal). Este projeto contribui para minimizar as dificuldades sentidas na integração profissional e social, permitindo ainda a preparação de sete alunos para a realização da prova de Língua Portuguesa, requisito fundamental para a aquisição da nacionalidade portuguesa. Este projeto permite a concretização da Medida 4 – “aumentar e diversificar as respostas de aprendizagem à língua Portuguesa” - do Plano Municipal para a Integração de Imigrantes em Cascais.
 
Coordenação do Programa de Literacia: Divisão de Intervenção Social da CMC 
Parceiros da Alfabetização Não Formal: Centro de Formação e Reabilitação Profissional de Alcoitão, Agrupamento de Escolas de Alcabideche – Agrupamento de Escolas de Alcabideche, Agência de Empreendedores Sociais – SEA, Equipas de RSI (Associação de Beneficência Luso-Alemã (ABLA), Santa Casa da Misericórdia de Cascais);  ARESC - Associação de Respostas Educativas à Comunidade, Clube Gaivotas da Torre e a  Cruz Vermelha Portuguesa. 
Parceiros da Alfabetização e Literacia para Nacionais de Países Terceiros: Agência de Empreendedores Sociais - SEA e o Clube Gaivotas da Torre - Associação juvenil.  
 
Como surgiu o Projeto de Alfabetização Não formal?
Em 2009 em São Domingos de Rana, no âmbito do Atendimento Psicossocial são identificados níveis de literacia muito baixos na população, bem como dificuldades associadas à aprendizagem da língua portuguesa, escrita e falada, comprometendo assim a sua integração socioprofissional, bem como o exercício da cidadania. Como resposta a esta necessidade, foi criado o projeto “Oficina de Letras”, financiado pela Câmara Municipal de Cascais. Em 2015 entrando numa nova fase, a implementação do mesmo passa a ser possível com recurso ao voluntariado.
Dado que as respostas formais disponíveis desde 2005 deixaram de existir, em 2012, na freguesia de Alcabideche, um conjunto de parceiros locais com a supervisão do laboratório de aprendizagens, estabeleceu como prioritário o desenvolvimento de ações de alfabetização e conversação em Português, com recurso ao voluntariado, que permitissem a Certificação do 1º ciclo do ensino básico.
 

Sugerimos também

Cascais Digital

banner_cascais_0banner_cascaisambiente_0banner_cascaisparticipa_0banner_cascaisjovem_0banner_cascalitosbanner_lojacascaisbanner_bairromuseus_0banner_geocascaisbanner_agendacascaisbanner_fixcascais